Notícias

30/03/2017

Apesar da crise, indústria farmacêutica continua crescendo

Institucional

Na contramão do movimento feito por tantos profissionais e empresas, há quem acredite que a crise brasileira representa uma oportunidade. É um momento de conter e redirecionar gastos, mas, principalmente, de melhorar a comunicação, de olhar para o mercado de forma mais inteligente e definir o que é prioridade de fato para acelerar a busca por alternativas.

 

É isso mesmo. A crise econômica que abala o Brasil tem solução. Pelo menos no que diz respeito ao setor farmacêutico, que faturou cerca de 66 bilhões de reais entre abril de 2015 e março de 2016, um crescimento de 10% comparado com o mesmo período um ano antes, segundo dados do IMS Health compilados pela Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma).

 

Ao contrário de outras indústrias, as contratações na área farmacêutica aumentaram quase 20% no último ano, impulsionadas pelo avanço dos medicamentos genéricos e pelo crescimento do segmento de biotecnologia médica.

 

“Os genéricos têm impulsionado muito as vendas no setor. Assim como o desenvolvimento de novas moléculas”, afirma o presidente da Associação Brasileira de Distribuição e Logística de Produtos Farmacêuticos (Abradilan), Francisco das Chagas Almeida.

 

De janeiro a abril de 2016, essas empresas faturaram 5,18 bilhões de reais com a comercialização de 304,9 milhões de unidades de medicamentos, um aumento de 21,7% no faturamento e de 16% em medicamentos vendidos, em relação ao mesmo período do ano anterior. “Nos últimos 12 meses, o Brasil ganhou mil novos pontos de venda, o que também se reflete no aumento das contratações no setor”, diz.

 

Fonte: Você S/A