Notícias

07/11/2017

Tecnologia a serviço das farmácias

Mercado

Softwares e aplicativos melhoram desde a gestão de loja até o atendimento ao cliente

A tecnologia está cada vez mais inserida no cotidiano das pessoas. Dados do thinkwithgoogle.com apontam que usuários de smartphones checam o celular mais de 150 vezes por dia, gastando em média 30 horas por mês com aplicativos – quase 80% deste tempo é utilizado para localizar e comprar produtos.

Diante dessa realidade, as farmácias, que desejam se manter em sintonia com os clientes e com o mercado consumidor, precisam integrar tecnologia ao processo de gestão e atendimento.

As possibilidades existentes na área de Tecnologia da Informação (TI) são cada vez mais variadas. Uma das mais comuns são aplicativos que utilizam o recurso de geolocalização para mostrar quais as farmácias mais próximas de onde o usuário se encontra.

Com a mesma tecnologia, é possível inserir outro endereço no campo de busca para descobrir quais as drogarias disponíveis no local desejado, além de verificar se o estabelecimento oferece serviços específicos, como atendimento 24 horas e estacionamento.

Existem também aplicativos que permitem uma busca específica de produtos. Por exemplo, ao digitar o nome de determinado medicamento, o usuário visualiza quais as farmácias na região com maior possibilidade de tê-lo em estoque.

"O app agiliza a jornada do consumidor, é uma ferramenta de empoderamento. Com o um aplicativo, o poder de escolha fica nas mãos do usuário, que saberá onde está a farmácia mais próxima, com o produto certo e, se possível, irá adquiri-lo com desconto por conta do programa de benefícios", ressalta o diretor de marketing da GoPharma, Fernando Cascardo.

Além de facilitarem a localização da farmácia, as tecnologias disponíveis ajudam a melhorar a experiência do consumidor dentro do ponto de venda (PDV). Ciente disso, a rede Panvel acaba de implantar a tecnologia Contactless, que permite a realização de pagamentos com cartões de crédito e de débito ou dispositivos móveis apenas aproximando-os das maquininhas no caixa, sem a necessidade de inseri-los.

"A funcionalidade deixa os pagamentos mais rápidos e práticos, além de reduzir o risco de erro de leitura do cartão, ou simplesmente usando seu smartphone ou dispositivos vestíveis, como braceletes e outros (devices wearables)", afirma o gerente de TI do Grupo Dimed, Alexandre Arnold.

Quem está em busca de uma gestão de loja mais afinada também encontra auxílio na tecnologia. Para ter uma previsão de demanda de produtos mais precisa, é possível utilizar contadores de fluxo de pessoas na loja, que permitem definir os períodos do ano e do dia em que há maior movimento.

Os sistemas mais modernos fazem a contagem de entrada e saída, determinam as chamadas áreas quentes e os espaços mais nobres do ponto de vista de vendas. Essas informações são processadas por um software, que gera dados importantes sobre o perfil dos clientes da loja, ajudando o varejista a traçar estratégias mais assertivas.